segunda-feira, 9 de abril de 2018

Grito de dor e súplica por Justiça marcam sepultamento de técnica de enfermagem, vítima da violência em Itabuna

Sob um clima de grande comoção, foi sepultado na tarde deste domingo (08), no Cemitério Campo Santo, em Itabuna, o corpo da técnica de enfermagem, Maria Ferreira Lima, de 51 anos, mais uma vítima da violência, em Itabuna. Na tarde da última quinta-feira (05), ela foi atacada por um assaltante, enquanto pilotava uma motocicleta. Maria foi derrubada da moto e acabou batendo a cabeça na calçada, na rua Monte Alto, bairro de Fátima. A queda teve uma grave consequência: traumatismo craniano.

No início da noite daquele mesmo dia, os médicos davam uma notícia, que abalou ainda mais os familiares, amigos e colegas da técnica: morte cerebral. O que a mantinha viva naquele momento eram os aparelhos e a fé no impossível. “Eu sei que, se Deus quiser, pode mudar o quadro”, disse um amigo.
No sábado (07), as esperanças de um milagre foram “enterradas” nas lágrimas de desespero, num grito contido na garganta, clamando, agora por Justiça, as mesmas emoções que abalaram o enterro. Os aparelhos foram desligados, desligando Maria da vida terrena e deixando apenas as lembranças da profissional dedicada, da pessoa querida e solidária e de uma itabunense, que de uma hora para outra, entrou para as estatísticas lamentáveis da violência.

O irmão de Maria Ferreira gravou um áudio nas redes sociais, agradecendo pelas orações e manifestações de apoio à família, uma vez que o caso teve uma grande repercussão. “Estamos muito tristes. Minha irmã era muito jovem, cheia de vida, guerreira, trabalhou muito e, infelizmente, foi vítima, como muito estão sendo, desta violência desembestada. Mas quero agradecer a todos que colaboraram, que deram apoio moral, que oraram por ela”, disse Ronaldo Lima.        

Mesmo em meio à dor pela perda prematura, a família, num ato de amor e solidariedade, doou os órgãos da técnica de enfermagem, como era seu desejo em vida, segundo uma colega da vítima informou à nossa Redação.

3 comentários: